O software Saleae Logic

Instruções básicas

Caso não tenha lido o post 1 sobre este assunto, segue o link: http://www2.decom.ufop.br/imobilis/componente-analisador-de-sinais-logic16-e-seu-software-saleae-logic-2-pt1/ 😀

Montar o sistema analisador lógico (sistema físico) não é suficiente para que a captura aconteça. Assim, é necessário aprender mais o funcionamento do software para que tudo funcione de maneira certa. Primeiramente deve-se entender qual a abrangência do software a ser utilizado tem sobre os sinais lidos e entender suas principais ferramentas sabendo como se usa cada uma delas.

Com ele, é possível definir o intervalo e a frequência de sinais a serem lidos. Tal opção pode ser escolhida por meio dos dois campos de seleção posicionados no canto superior esquerdo, como é mostrado na Figura 1.

filtro

Figura 1: Configuração de amostras.

No primeiro campo, é definido a quantidade de amostras a serem obtidas pelo Logic16. Já no segundo campo é definido a taxa de amostragem no qual se quer coletar.

Observação: Caso o módulo não esteja conectado, o botão não estará escrito “Start” mas sim  “Start Simulation“. Ao clicar no botão “Start Simulation” aparecerá vários sinais aleatórios para demostração do software . Caso contrário, ou seja, o botão seja o “Start”, o Logic16 funcionará normalmente. Normalmente, o led do componente Logic16 acenderá e apagará por meio de fade (fade-in e fade-out). Mas o comportamento do led pode ser alterado em configurações do software.

Com a palheta, é possível perceber e identificar perfeitamente qual sinal está relacionado por qual cor de cabo como mostra a Figura 2. Além de facilitar o entendimento do usuário para cada cabo, é possível alternar o nome padrão das etiquetas. Na palheta o canal que antes estava com etiqueta Channel 3 por exemplo, pode alterar para Código ASCII se for de interesse do usuário.

palheta

Figura 2: Palheta de canais.

Devemos certificar também que o(s) cabo(s) que foram encaixados no Logic16 estejam de acordo com a sequência da palheta indicada no software para que haja padronização e principalmente ordem na realização dos testes.

Triggers

É possível programar o software Saleae Logic para que ele capture sinais apenas se algum evento em especial acontecer em determinada porta. Isso torna mais fácil a procura por um dado específico.

As triggers, por padrão, são iniciadas em qualquer sinal “don’t care“, ou seja, a partir do momento do início da captura dos sinais a serem analisados no qual o usuário aciona o botão de Start.

Para definir uma trigger, utiliza-se os campos destinados a tal ação. Tal como na Figura 3, o cabo de cor preta iniciará uma trigger com sinal lógico 1 e o cabo de cor marrom iniciará uma trigger quando houver uma borda de subida [1] e [2].

trigger

Figura 3: Triggers.

Caso o usuário crie uma trigger, pode existir a possibilidade de seu gatilho nunca ser acionado e criar um loopinfinito. Ou seja, ao executar a captura de dados, é possível que ele nunca obtenha a captura correta do que se pede pois todos os dados capturado até o momento serão desconsiderados até que o gatilho seja utilizado.

Assim, caso o analisador fique procurando algo para ativar o gatilho será exibido uma tela igual a Figura 4 no qual ele o software estará pronto para analisar dados a partir da confirmação dada pelo gatilho.

Sem Triggers.

Figura 4: Sem Triggers.

Caso ele nunca encontre tal gatilho, esta tela nunca será fechada e ficará analisando até que encontre o ativador do gatilho ou que o próprio usuário cancele a operação.

Protocolos Analisadores [3]

Para utilizar protocolos analisadores, deve-se de antemão configurar quais protocolos serão utilizados antes de qualquer leitura a ser realizada.

Os protocolos são definidos no canto central direito do software na aba Analyzers. Existem vários tipos de protocolos sendo possível manupulação de suas configurações padrões. Ao clicar no ícone +, é possível ver os protocolos CAN, DMX-512, I2C, I2S/ PCM, Manchester, 1-Wire, Async Serial, Simple Parallel, SPI e UNI/O.

Como exemplo, foi utilizado 4 tipos de protocolos utilizando o modo simulador do Saleae Logic para demonstração do funcionamento dos protocolos mais simples e fáceis de serem compreendidos.

DMX-512

Segundo alguns manuais encontrados na internet, DMX-512 é usado em controle de iluminação teatral ou em espetáculos por exemplo (Figura 5) [4].

dmx512

Figura 5: Protocolo DMX-512.

Manchester

Segundo Tanenbaum [5], utiliza-se este protocolo no qual os dados são representados pela transição das bordas (borda de subida ou borda de descida). Assim o sinal lógico 1 é identificado como borda de subida e o sinal lógico 0, então, é indicado como borda de descida [6].

Não é qualquer borda de subida ou descida. Toda leitura de sinal lógico é realizada a cada um ciclo de clock. Completando com a explicação de Tanenbaum, esta codificação é usada em redes Ethernet/802.3. A sua principal vantagem é a facilidade de se recuperar erros. Mesmo que parte da transmissão se perca, ainda assim é fácil detectar qual foi o sinal enviado [5] [6].

Abaixo (Figura 6), é possível ver um exemplo de dados sendo enviado pela Codificação de Manchester gerado aleatoriamente pelo Saleae Logic:

manchester

Figura 6: Protocolo Manchester.

Async Serial

Diferentemente do envio de dados através de comunicação paralela, a comunicação serial seria o simples envio de dados em que o processo de enviar dados é de apenas um bit de cada vez e sequencialmente. O meio de comunicação pode ser um cabo ponto-a-ponto ou um barramento.

Esta comunicação é excelente para longas distâncias no qual o custo é reduzido drasticamente em relação a comunicação paralela que utiliza n – 1 cabos adicionais.

Um exemplo é mostrado na Figura 7.

serial

Figura 7: Protocolo Serial Assíncrono.

Simple Parallel

Contrária método de envio Serial Assíncrono, a comunicação paralela acontece com o envio de todos os bits de um dado numa única iteração. Porém, tal método necessita de mais cabos conectando os dispositivos tornando o envio dos dados mais velos comparados ao serial aumentando área utilizada pelo circuito.

Em compensação a este problema, ela envia dados de forma mais eficiente entre dispositivos. Tal comunicação é excelente para envio de grandes quantidades de dados simultâneos.

Na figura abaixo (Figura 8), cada cabo, exceto pelo cabo roxo que é representado por um clock, simboliza dados enviados simultaneamente. Cada pulso de clock é enviado o dado que está identificado nos cabos D0 à D6 enviando 7 bits simultâneos num mesmo pulso de clock.

paralelo

Figura 8: Protocolo Paralelo simples.

 

Referências Bibliográficas

[1]  Saleae. Logic & Logic16 User’s Guide Publicado em: 2012. Acessado em: 8 set. 2014. Disponível em: <http://downloads.saleae.com/Logic+Guide.pdf>.

[2]  Saleae. Logic User’s Guide Acessado em: 13 set. 2014. Disponí- vel em: <https://web.eecs.umich.edu/~prabal/teaching/eecs373-f10/ readings/Saleae_Logic_Guide.pdf>.

[3]  Saleae. Logic – User’s Guide Acessado em: 11 set. 2014. Disponível em: <https://www.sparkfun.com/datasheets/Tools/LogicUsersGuide. pdf>.

[4]  Elation Professional. DMX 101: A DMX 512 HANDBOOK Acessado em: 16 set. 2014. Disponível em: <http://elationlighting.com/pdffiles/ dmx-101-handbook.pdf>.

[5]  Tanenbaum, A. S. Wetherall, D. J.. Redes de Computadores Editora: Pearson Education. Edição 5. Ano 2011. I.S.B.N.: 9788576059240.

[6]  Bernal, V. B.. Codi cação e transmissão de sinais digitais em banda bá- sica Acessado em: 14 set. 2014. Disponível em: <http://www.lsi.usp.br/ ~volnys/courses/redes/pdf/08codif-col.pdf>.

Summary
Componente analisador de sinais Logic16 e seu software Saleae Logic - Parte 2 de 3
Article Name
Componente analisador de sinais Logic16 e seu software Saleae Logic - Parte 2 de 3
Description
Informações básicas do Componente analisador de sinais Logic16.
Author
Publisher Name
Laboratório iMobilis
Publisher Logo

One thought on “Componente analisador de sinais Logic16 e seu software Saleae Logic – Parte 2 de 3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website